Portal de Encruzilhada - Sua fonte de notícias na cidade de ...

Sabado, 13 de Julho de 2024
Chinesa Evergrande pede proteção contra falência

Economia

Chinesa Evergrande pede proteção contra falência

Gigante chinesa está atolada em dividas graças a empréstimos tomados

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Grupo Evergrande — que já foi a segunda maior incorporadora da China — entrou com pedido de proteção contra falência nesta quinta-feira (17)

A empresa acumulou diversos empréstimos e deixou de pagá-los em 2021, o que gerou uma enorme crise imobiliária na economia da China, que continua sentindo seus efeitos.

O pedido foi feito por meio do “Chapter 15”, ou “Capítulo 15”, o capítulo relativamente novo da lei das falências norte-americanas destinado a lidar com os processos de recuperação judicial internacionais, originados em outros países.

Publicidade

Leia Também:

A incorporadora tem lutado para pagar seus empréstimos, que chegaram a R$ 2,4 trilhões de yuans (cerca de R$ 1,7 trilhão) no final do ano passado, o que equivale a cerca de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) da China.

No mês passado, a empresa informou em comunicado ao mercado que havia perdido US$ 81 bilhões (cerca de R$ 403 bilhões) de acionistas entre 2012 e 2022.

A inadimplência da Evergrande em 2021 desencadeou uma crise gigante no mercado imobiliário da China e prejudicou o sistema financeiro do país.

Desde o colapso da Evergrande, várias outras incorporadoras da China, incluindo Kasia, Fantasia e Shimao Group, também ficaram inadimplentes.

Mais recentemente, outra gigante imobiliária chinesa, a Country Garden, alertou que iria “considerar a adoção de várias medidas de gerenciamento de dívida” — alimentando especulações de que a empresa poderia estar se preparando para reestruturar seus débitos.

No início deste ano, a Evergrande revelou seu tão esperado plano de reestruturação de dívidas — o maior da história da China. A empresa disse que chegou a “acordos vinculativos” com seus detentores de títulos internacionais sobre os principais termos do acordo.

“A reestruturação proposta aliviará a pressão de endividamento offshore da empresa e facilitará os esforços da empresa para retomar as operações e resolver problemas em terra”, disse a empresa em comunicado.

FONTE/CRÉDITOS: CNN Brasil
FONTE/CRÉDITOS (IMAGEM DE CAPA): Reprodução
Comentários:
Portal de Encruzilhada
Portal de Encruzilhada

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!