Portal de Encruzilhada - Sua fonte de notícias na cidade de ...

Terça-feira, 21 de Maio de 2024
Polícia Civil prende mulher que matou recém nascido

Policial

Polícia Civil prende mulher que matou recém nascido

O laudo comprovou que a criança respirou fora do útero, ou seja, morreu após o nascimento

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
A Polícia Civil de Encruzilhada do Sul, no dia 27/10/2023, apenas quatro dias após o crime, prendeu preventivamente uma mulher, de 18 anos, por matar seu próprio filho após o parto e jogar o corpo no lixo.
As investigações iniciaram após coletores de lixo terem visto o bebê dentro de uma sacola no caminhão de lixo.
O delegado Róbinson Palominio informou que, a partir desse momento, várias diligências já foram efetuadas. A primeira delas foi a solicitação de perícia para verificar se o bebê nasceu com vida. O exame pericial foi emitido nesta quinta-feira, dia 26/10, e teve o resultado positivo. Por isso, como o bebê respirou fora do útero, o delegado explicou que se trata de homicídio (e não de aborto). Além desse crime, a investigada também responderá por ocultação de cadáver, visto que, após o parto, colocou o recém-nascido no lixo.
Publicidade

Leia Também:

A suspeita confessou ter realizado o parto e jogado o feto no lixo, porém negou saber que estava grávida. Além disso, disse que, aparentemente, o bebê havia nascido sem vida e que o colocou no lixo por medo de que seus familiares ficassem "contra" ela.
Porém, o delegado ressalta que os próprios familiares foram ouvidos e disseram que, caso a investigada estivesse grávida, diziam para ela que acolheriam o bebê. Além disso, ao desconfiar da gravidez dela há alguns meses, falavam para ela fazer exames. Mas ela se negava a fazer e ficava brava quando era questionada sobre isso. Inclusive, numa das oportunidades, mentiu ter feito um exame e mentiu sobre o resultado.
A conclusão da polícia é que a presa não queria aquele filho, por isso rejeitou a hipótese de estar grávida desde o início e, quando o bebê nasceu, deu um jeito de se livrar dele imediatamente.
O bebê apresenta duas profundas lesões no tórax, as quais, segundo o delegado, não podem ter sido produzidas pelo caminhão de lixo nem pela lixeira. Assim, só podem ter sido produzidas pela própria suspeita.
A investigada foi encaminhada para o presídio de Guaíba e está à disposição do Poder Judiciário.
O Delegado Róbinson Palominio ressalta que, mais uma vez, o rápido e eficaz trabalho policial se deve ao trabalho da equipe policial que possui, a quem agradece mais uma vez.
 
FONTE/CRÉDITOS: Policia Civil
Comentários:
Portal de Encruzilhada
Portal de Encruzilhada

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!